Design: Lá em casa no escritório

Paredes vivas irrigadas por água reciclada abrigam projeto de uma comunidade verde de ateliês na Vila Madalena

por Mara Gama

Reprodução

Maquete digital do projeto dos ateliês verdes na Vila Madalena

Ter a informalidade da casa e do bairro no ambiente de trabalho é a idéia de um prédio em obras na Vila Madalena, em São Paulo, que deve ficar pronto no fim de 2007. Na contramão da prática de levar o espaço ordenado e reservado do escritório para dentro da casa que é um lugar afetivo e, não raro, da desordem, o edifício quer abrigar a atividade profissional criativa em um espaço vivo e que permita comunicação entre ocupantes das unidades e deles com o bairro. Com uma dose generosa e bem-vinda de utopia, o que se pretende ali é criar uma comunidade verde de ateliês.

A conexão entre os espaços independentes é um dos artifícios construtivos para gerar convívio. Assim, os ateliês são dispostos em dois blocos unidos por uma passarela suspensa. A passarela se avaranda, criando espaço para reuniões ligeiras, e se debruça sobre o térreo, aterrado para chegar ao nível da rua Harmonia, um espaço que se converteu em praça aberta. No prédio, grandes janelas fazem a comunicação entre os ateliês e a rua.

Serão seis espaços, com metragem de 40 a 120 m2 e um jardim suspenso comunitário. A partir de outubro, plantas que prescindem de terra como orquídeas e bromélias, e também bananeiras, jasmins e bulbines serão colocadas em nichos na fachada e recobertos por uma mistura de cimento, minério e massa de fixação. Para alimentá-las, água e fertilizantes orgânicos. A empresa responsável pelas paredes vivas é a Permacultura, criada na Austrália no final dos anos 1970, por Peter Webb.

“O que importa não é o verde na fachada por si só. É todo o sistema que permite a existência do verde, seu crescimento, seus perfumes e a qualidade de vida para quem está criando ali”, diz Carol Bueno, uma das arquitetas da Triptyque, empresa que ela divide com Greg Bous-quet, Olivier Raffaelli e Guil-laume Sibaud, todos formados pela Escola de Arqui-tetura das Belas Artes de Paris e instalados em São Paulo desde 2001. A escolha do local não foi à toa. “A Vila tem a ver com o nosso espírito. Ela inspira pela efervescência cultural”, diz Carol.

Parte do sistema que permite a existência do verde é o processo de captação de águas pluviais e drenagem do terreno. A água passa primeiro por filtros artesanais, segue para um filtro industrial e depois para refiltragem com cloro orgânico. Purificada, é acondicionada em reservatórios e distribuída em canaletas que irrigam o jardim suspenso. Parte das tubulações é incorporada à estrutura aparente e serve de corrimão.

As paredes das fachadas são duplas, com um vão impermeabilizado para garantir que a água não penetre na área interna. A água e o vão devem aumentar o conforto térmico na edificação, o que economiza, em tese, energia e dinheiro que seriam gastos em ar-condicionado.

Com o sistema hídrico planejado, 90% das necessidades de água serão supridas internamente. Os 10% restantes são de água potável, que deve vir do sistema público.

A proposta de usar as características locais e incorporar as circunstâncias climáticas está presente também no projeto da Triptyque para uma casa que deve ficar pronta no final de 2008 em Camburi, litoral Norte. “Usamos o conceito de atomizar os programas de acordo com o terreno, para aproveitar insolação, ventos, sombras, relevo”, conta Carol.

O canteiro de obras da rua Harmonia cede espaço para a discussão. Desde o dia 25 de agosto e até 2 de setembro, a galeria virtual Florence Antonio organiza ali a exposição “Homens Trabalhando”. Uma programação de debates deve abordar o conceito da obra inacabada, as imbricações entre arte e arquitetura e novas formas de ocupação do espaço.

serviço

Homens Trabalhando. Obras de Miro, Ana Elisa Egreja, Ana Michaelis, Andres Sandoval, Iara Freiberg e Luciana Martins entre outros. Até 2/9, das 11h às 19h (exceto dia 2, das 11h às 17h). Canteiro na r. Harmonia, 57, Vila Madalena. Florence Antonio: http://www.florenceantonio.uol.com.br

Casa projetada pelo Triptyque em Camburi

MARA GAMA é jornalista com especialização em design e gerente geral de conteúdo do UOL.

Anúncios