Aliança propõe comissão para monitorar Plano de Resíduos de SP

Se a maior cidade do Brasil cumprisse as diretrizes de seu Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, o PGIRS, aprovado em 2014, chegaria ao segundo semestre de 2017 recuperando 19% dos resíduos secos e 15% dos orgânicos gerados. Não estamos nem perto. E não há dados para saber a que distância estamos das metas.

Considerando a geração de 12 mil toneladas de resíduos ao dia atualmente, a reciclagem planejada pelo PGIRS desviaria dos aterros sanitários cerca de 4 mil toneladas/dia, 1/3 dos resíduos de São Paulo. Em 2034, a cidade deveria aterrar apenas 15% de seus rejeitos, que são a parte não reciclável dos resíduos.

O PGIRS é um marco regulatório do setor. Define ações e rota tecnológica para os próximos 20 anos. Resultou de um processo participativo amplo na definição de estratégias a serem adotadas de forma integrada pelo poder público.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/06/1897387-alianca-propoe-comissao-para-monitorar-plano-de-residuos-de-sp.shtml

Anúncios

Mostra revela a cidade dos rios escondidos

Mostrar o traçado dos cursos originais que correm sob a urbanização da cidade e despertar o “sensor humano de água” para a preservação são objetivos da exposição Rios Des.cobertos. Em cartaz desde a última quarta (21) e até dezembro, no Sesc Pinheiros, a mostra revela a hidrografia de São Paulo, em sua maior parte escondida em canos abaixo das ruas, vielas, avenidas, pequenas praças e dos lotes construídos.

A atração principal é uma grande maquete branca tridimensional que representa a área central da cidade e as várzeas dos rios Pinheiros, Tietê e Tamanduateí. Essa maquete recebe projeções de imagens de vários sistemas que podem ser escolhidos pelos visitantes: a rede de água visível, a de água coberta, a divisão de ruas, imagens de satélite, relevo. Além disso, animações mostram a movimentação das chuvas e consequentes focos de alagamento, por exemplo.

O projeto, que já esteve nas unidades Vila Mariana e Carmo do Sesc, tem conteúdos novos em cada local de montagem. Em Pinheiros, o foco é o rio –ou córrego– Verde, do qual muita gente só se lembra na época das chuvas e enchentes, quando vê fotos de carros boiando nas proximidades do Beco do Batman, na Vila Madalena. Um dos braços do rio Verde passa por ali. Cruzando vários bairros, ele deságua no rio Pinheiros nas proximidades do clube Hebraica.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/06/1895255-mostra-revela-a-cidade-dos-rios-escondidos.shtml

‘PL da Poluição’ atrasa combustível limpo nos ônibus de SP

Está em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo um Projeto de Lei de alto poder
poluidor.

O PL 300/2017, também conhecido como PL da Poluição, dá mais dez anos para as empresas de ônibus alterarem ou renovarem seus veículos para uso de combustíveis limpos, contrariando os artigos 50 e 51 da Política Municipal de Mudanças Climáticas, a lei 14.933, de junho de 2009. Se virar lei, posterga a retirada dos poluentes de ônibus a diesel para 2027, piorando o ar da cidade e contribuido para a emissão de gases do efeito estufa.

Um estudo realizado pelo Instituto Saúde e Sustentabilidade para o Greenpeace avalia que a poluição de São Paulo será responsável por mais de 95 mil mortes até 2037 e vai causar perda de produtividade de calculada em R$ 38 bilhões. A mudança para combustíveis renováveis nos ônibus municipais poderia evitar 12.700 mortes até 2050.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/06/1893318-pl-da-poluicao-atrasa-combustivel-limpo-nos-onibus-de-sp.shtml

Trump quer fazer ‘greenwashing’ no muro com o México

Uma semana depois de anunciar a saída do Acordo de Paris, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ventila outra ideia de dar nó: quer instalar painéis de captação de energia solar para custear o muro que prometeu erguer na fronteira com o México.

O presidente tenta, assim, dar uma cara de verde a algo que não tem nada de sustentável, ecologizar sua iniciativa. A construção de uma barreira física “impenetrável, poderosa e bonita” é promessa de campanha. Talvez a que mais materialize a sua plataforma xenófoba. A barreira visa frear a entrada de imigrantes sem documentação e com isso conter, de acordo com seu discurso, o aumento da criminalidade, e proteger os empregos dos americanos.

Mais em:https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/06/1891529-trump-quer-fazer-greenwashing-no-muro-com-o-mexico.shtml

Brasil destrói ambiente e ataca sua proteção legal

Nos dias que antecedem o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, más notícias para o ambiente e sua proteção legal no Brasil.

O aumento do desmatamento foi revelado com a edição do novo Atlas da Mata Atlântica, elaborado pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe, com dados publicados pela Folha na segunda (29).

Foram destruídos 291 km quadrados de florestas do bioma entre 2015 e 2016, crescimento de 57,7% em relação ao período anterior. Há 10 anos o Atlas não registrava desmatamentos dessa ordem. Bahia, Minas, Paraná e Piauí lideram o ranking de desmatadores.

A destruição das proteções legais do meio ambiente avançou na quarta (31), quando o Senado reaprovou a Medida Provisória 759, que dispõe sobre a regularização fundiária rural e urbana. Apelidada “MP da Grilagem”, ela segue para sanção presidencial.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/06/1889536-brasil-destroi-ambiente-e-ataca-sua-protecao-legal.shtml