Carnaval de São Paulo estimula consumo e erra feio na reciclagem

O Carnaval de rua de São Paulo começou na última sexta (17), e terá quase 400 blocos espalhados por vários bairros da cidade até 5 de março. O lixo foi o grande destaque do primeiro fim de semana. Não deveria haver surpresa.

O evento comercial deste ano foi feito para aumentar as vendas de bebidas e sem a responsabilidade compatível dos envolvidos com o que fazer com as embalagens. Que deveriam ser recicladas. Há erros em todas as etapas do processo: vendas, consumo, coleta e destinação.

Começando pelas vendas. Segundo dados do site da prefeitura, o número de vendedores ambulantes autorizados mais que dobrou em relação a 2016. Estão autorizados a atuar 8.000 ambulantes este ano e eram 3.775 cadastrados em 2016.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/02/1861628-carnaval-de-sao-paulo-estimula-consumo-e-erra-feio-na-reciclagem.shtml

Anúncios

China tem maior fazenda de energia solar do mundo e lidera setor

A agência de energia chinesa anunciou que a Longyangxia Dam Solar Park, que fica na província de Qinghai, é a maior fazenda solar do planeta. O parque consumiu cerca de 6 bilhões de yuans (R$ 2,690 bilhões) e está sendo construído desde 2013.

Com capacidade de produção de 850 megawatts, pode suprir a necessidade de energia de até 200 mil famílias.

A produção de energia solar segue crescendo na China e o país é hoje o principal investidor em energia limpa do mundo.

A orientação na direção de um caminho mais verde vem sendo comemorada pelos ambientalistas que lutam pela diminuição das emissões de carbono e pelo cumprimento das metas firmadas no Acordo de Paris em 2016. Afinal, a China tem o pior índice de poluição do ar do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/02/1859493-china-tem-maior-fazenda-de-energia-solar-do-mundo-e-lidera-setor.shtml

Entidade faz balanço do acordo setorial das embalagens

Pouco mais de um ano depois de assinado, o acordo setorial de embalagens tem seus primeiros resultados parciais divulgados. O acordo regulamenta o fluxo das embalagens pós-consumo no país.

Na análise do Cempre (Compromisso Empresarial para Reciclagem), que participou do desenho do acordo, o balanço é positivo. A entidade considera que foram batidas duas metas estruturantes antecipadamente e comemora o “engajamento” das empresas do setor “mesmo em tempos de crise”.

O das embalagens é o maior acordo setorial de logística reversa do país. É fundamental para a regulação da reciclagem de recipientes plásticos, de papel e latas de alumínio e estabelece as responsabilidades em relação à coleta e tratamento dos resíduos. Os acordos setoriais estão previstos na lei 12.305, a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), de 2010.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/02/1857529-entidade-faz-balanco-do-acordo-setorial-das-embalagens.shtml

Em Paris, mictório ecológico de rua coleta xixi para fazer composto

Eles chegaram no fim de dezembro a uma calçada da rue de Bercy, perto da Gare de Lyon, que está entre as dez maiores estações de Paris. Na parte de cima, uma floreira com espécies perfumadas, como a lavanda, por exemplo. Na parte de baixo, um compartimento cheio de palha seca.

Uma abertura permite aos homens urinar em pé de frente para as flores diretamente no compartimento que tem palha. Esse é o esquema do Uritrottoir, mictório ecológico de rua. “La mini-vespasienne seche”, alude aos banheiros públicos parisienses – vespasiennes”, também só para homens – instalados a partir de 1834 na capital francesa. Em Paris, os banheiros de rua para mulheres só apareceram quase 150 anos depois.

Criados pela agência de design industrial Faltazi, alguns Uritrottoir devem ser instalados ainda no primeiro semestre de 2017 em Nantes, também na França, onde fica a empresa, e Lausanne, na Suíça, segundo os fabricantes.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/02/1855377-em-paris-mictorio-ecologico-de-rua-coleta-xixi-para-fazer-composto.shtml