ONG pede que Pão de Açúcar pare de vender carne de porco confinado

A ONG internacional Mercy For Animals, que combate maus tratos de animais criados para consumo, pediu que o Grupo Pão de Açúcar pare de comprar carne de porco de fornecedores que utilizam métodos de confinamento considerados cruéis.

Com imagens obtidas em investigação da ONG e apontadas como sendo de uma fazenda de porcos cooperada da marca Aurora, em Xanxerê (SC), um video mostra cenas de sofrimento no abate de leitões e porcas confinadas em celas de gestação.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938784-ong-pede-que-pao-de-acucar-corte-carne-de-porcos-de-celas-confinadas.shtml

Anúncios

Consumidor rejeita sofrimento animal e quer transparência, diz pesquisa

Pesquisa encomendada pela ONG Mercy For Animals aponta que 81% das pessoas se preocupam com a forma como os animais são tratados pela indústria alimentícia.

O levantamento mostra também que 72% acham que o consumidor deveria estar ciente sobre a crueldade contra animais envolvida na produção de comida. Para 57%, restaurantes e supermercados deveriam parar de oferecer produtos que envolvem sofrimento para os animais.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938754-consumidor-rejeita-sofrimento-animal-e-quer-transparencia-diz-pesquisa.shtml

‘Tinder de comida’ une interessados, mapeia e faz agendamento de doações

Não é para encontros românticos, mas aproxima quem precisa e quem tem de sobra. Para isso nasceu o aplicativo Comida Invisível. “É um Tinder de comida”, brinca Sergio Ignácio, um dos idealizadores do app lançado na última sexta, 24.

O aplicativo pretende conectar restaurantes, bares, empórios e pequenos mercados que queriam doar, com creches, ONGs e instituições que precisam de alimentos.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938706-tinder-de-comida-une-interessados-mapeia-e-faz-agendamento-de-doacoes.shtml

Fórum promovido pela UE aborda financiamento para negócios verdes

Promovido pela União Europeia, acontece em São Paulo nos dias 27 e 28 de
novembro o Fórum de Negócios Verdes, para discutir financiamento de iniciativas
privadas contra as mudanças climáticas.

O congresso pretende ser uma plataforma para abordar a cooperação entre Europa e
Brasil em modelos viáveis de negócios sustentáveis. Agricultura de baixo carbono,
geração de energia distribuída, energia solar, eficiência energética em edifícios e
indústrias e créditos de carbono são nichos a serem analisados.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938381-forum-promovido-pela-ue-aborda-financiamento-para-negocios-verdes.shtml

‘Não vou comprar nada e ficarei longe do e-mail na Black Friday’, diz autora

“Não vou comprar nada na Black Friday”, diz Carol Sandler. “E vou ficar longe do e-mail”.

Seis meses de abstinência “imunizaram” a jornalista e economista contra excessos. Em
janeiro de 2016, ela determinou corte de compras de roupas, bolsas, sapatos e bijuterias
e só adquiriu livros que precisava “muito” ler. Em julho, sentiu que a experiência havia
mudado sua relação com o consumo.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1936803-nao-vou-comprar-nada-e-ficarei-longe-do-e-mail-na-black-friday-diz-autora.shtml

Dez minutos de pausa podem evitar a compra feita só por impulso

A especialista em finanças pessoais Carol Sandler lança o livro “Detox das Compras –
Como se livrar do consumismo e repensar a forma como gasta seu dinheiro” nesta
quarta, 22, em São Paulo. A pedido da Folha, ela dá cinco dicas para a se defender
das compras por impulso e do consumismo em épocas de muitas ofertas.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1936797-dez-minutos-de-pausa-podem-evitar-a-compra-feita-so-por-impulso.shtml

‘Banquetaço’ dá comida de verdade contra farinata

No horário de almoço de quinta-feira (16), uma mesa farta, colorida e apetitosa foi montada na frente do Theatro Municipal de São Paulo por volta de meio-dia. Serviu 2.000 refeições e 2.200 picolés a todos que passaram por ali –os que foram especialmente ao ato, os frequentadores e a população sem teto que mora ou circula na região.

Cuscuz numa trouxinha de folha de bananeira, penne com molho de pancs (plantas alimentícias não convencionais), bolinho de batata com aparas de presunto, sucos e sorvetes de sabores especiais, como o de cambuci, foram alguns dos dez pratos. Entre as dez duplas de chefs montadas para compor o cardápio estavam nomes como Bel Coelho, Neka Mena Barreto, Ana Soares e Mara Salles, entre tantos outros.

Os ingredientes vieram de uma coleta eficiente. Cultivadores de orgânicos de vários pontos de São Paulo, hortelões de hortas comunitárias, agricultores da agroecologia, movimentos como o Disco Xepa, responsáveis pela horta de pancs da Faculdade de Medicina da USP, doações de restaurantes, entrepostos. Um galpão no centro, nas proximidades da rua Paula Souza, foi cedido por um empresário e serviu de centro logístico para a preparação dos pratos.

Mais em:https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/11/1936068-banquetaco-da-comida-de-verdade-contra-farinata.shtml