Entrevistas sobre design e artesanato

Daniel Douek e Lígia Azevedo são os responsáveis pelas entrevistas que o site de A CASA publica regularmente. Agora o museu do objeto brasileiro publica um apanhado de 20 destas entrevistas com designers, artesãos e estudiosos como Renato Imbroisi, Marcelo Manzatti, Janete Costa, Maria Teresa Leal, Glaucia Amaral e Liana Bloisi, Christian Ullmann e Tania de Paula, Marta Mendes e Paulo Sérgio Franzosi, Marisa Ota, Fábio Souza e Helena Sampaio.

“entrevistas design + artesanato – vol. 1” trata principalmente de cultura popular e da interação entre designers e comunidades de artesãos, tema caro ao museu. O lançamento está sendo agora, quarta, 20 de outubro, na CASA (r. Cunha Gago, 807, Pinheiros, São Paulo), durante a premiação e a abertura da exposição do 2° Prêmio Objeto Brasileiro.

Anúncios

CASA exibe selecionados e premiados a partir de 20 de outubro

A CASA museu do objeto brasileiro expõe, a partir desta quarta, 19h30, e até 10 de dezembro, os projetos finalistas selecionados para a 2ª edição do Prêmio do Objeto Brasileiro.

Anunciará também na quarta os premiados nas categorias Objeto de produção autoral, objeto de produção coletiva, ação sócio-ambiental e novos projetos.

O prêmio tem dois anos e teve este ano 398 projetos e objetos inscritos de 16 Estados do país por designers, artesãos, associações, cooperativas e instituições.

A lista completa dos selecionados está no site do museu em http://www.acasa.org.br

Mostra dos 31 selecionados e anúncio dos premiados do “2º Prêmio Objeto Brasileiro”
Abertura: 20 de outubro, 19h30
Visitação: De 21 de outubro a 10 de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h
Local: A CASA – Museu do Objeto Brasileiro (rua Cunha Gago, 807 – Pinheiros -Tel (11) 3814.9711)

Livro capital sobre os sete projetos para Brasília

plano de Lucio Costa e equipe

Debate com os autores Milton Braga, Guilherme Wisnik e Nelson Kon lança neste sábado, 16 de outubro, as 11h, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, o livro “O Concurso de Brasília: sete projetos para uma capital”.

plano de Rino Levi e equipe

Resultado da tese de mestrado de Braga, defendida em 1999 na FAU-USP, o livro é um precioso e bem lastreado estudo que parte do concurso realizado entre 1956 e 1957 para construção da nova capital do país.

plano de M.M.M. Roberto e equipe

Braga reúne e apresenta documentos fundamentais para a história da arquitetura, localiza historicamente as críticas e polêmicas sobre a construção da capital do Brasil e analisa os projetos com clareza e transparência conceitual.

O volume descreve os projetos premiados das equipes de Milton Ghiraldini, Vilanova Artigas, Henrique Mindlin e Giancarlo Palanti, M.M.M. Roberto, Rino Levi, Boruch Milman e Lucio Costa com fichas técnicas, plantas, textos com os pressupostos e princípios, argumentação sobre implantação, características econômicas e geográficas e também os comentários do júri sobre cada projeto.

Catedral, Esplanada dos Ministérios e praça dos Três Poderes com o Congresso Nacional, do ensaio do fotógrafo Nelson Kon sobre Brasília

Dividindo o livro, um ensaio fotográfico de Nelson Kon sobre a Brasília atual introduz a análise comparativa dos projetos e o confronto do plano piloto de Lucio Costa adotado com a cidade efetivamente construída.

Parque Cultural, centro urbano e ao fundo a Asa Sul, foto do ensaio do fotógrafo Nelson Kon

Também no volume estão as correspondências entre o Instituto dos Arquitetos do Brasil IAB e a Novacap, agência que se encarregou do concurso e da construção, o edital do concurso, breves biografias dos participantes do concurso e dos membros do juri.

A apresentação de Guilherme Wisnik contextualiza o concurso da capital na história do país e no âmbito das discussões do modernismo na arquitetura.

Wisnik sublinha como projetos mais radicais os de Lucio Costa, Rino Levi e dos irmãos Roberto.

E assinala a atualidade e a pertinência do estudo de Braga para o urbanismo:

“O interesse desse estudo não se esgota no diagnóstico da produção brasileira do monento. (…) Como mostra o autor, algumas características notáveis desses três projetos os situam como referências para o debate mundial. Pois, se a proposta dos irmãos Roberto – ligada ao paradigma das cidades-jardins e às idéias de Lewis Mumford – era a síntese radical de uma concepção que começaria a decair a partir daquele momento histórico, mas retornaria depois nos projetos de enclaves suburbanos de elite, o plano de Rino Levi, como observa o autor, já antecipava o conceito de megaestrutura, que se tornaria dominante na década de 1960. E por fim, a concepção de Lucio Costa, segundo Milton Braga, ao mesclar a sua modernidade de base a elementos locais e próprios do passado colonial, antecipou, à sua maneira progressista, e sem mimetismos, o debate urbanístico pós-moderno, que viria a procurar, logo em seguida, alternativas de espaço.”
Livro: “O Concurso de Brasília: sete projetos para uma capital” (288 páginas, 230 ilustrações, R$ 79,00).

Autor: Milton Braga, com ensaio fotográfico de Nelson Kon e apresentação e edição de Guilherme Wisnik.

Lançamento e debate: sábado, 16 de outubro, 11h, no Museu da Casa Brasileira (av. Brigadeiro Faria Lima 2.705, São Paulo)

Três novas linhas de móveis da OVO brincam com articulações e composições da arquitetura

Os designers Gerson de Oliveira e Luciana Martins, da OVO, apresentam nesta quinta, 7 de outubro, três novas linhas de móveis, com cadeiras, mesas e bufê nas linhas Laterais, Clara e Sublinha.

A linha Laterais é composta por uma cadeira e um conjunto de mesas articuladas, a Etcetera, que funciona como uma espécie de estante aberta. É a peça mais divertida da coleção. A Etcétera é feita das sobras do processo de fabricação da cadeira, em chapa de compensado naval.

A linha Clara, em jequitibá maciço e carvalho, tem mesa, cadeira e bufê. Mesa e cadeira têm hastes metálicas coloridas que deixam clara a distribuição das forças e a estruturação das peças. O desenho do bufê tem inspiração nos prédios suspensos em pilotis da arquitetura moderna brasileira, conforme seus criadores.

A linha Sublinha divide as mesas em partes de cores diferentes, sugerindo justaposição de peças autônomas na composição de um novo objeto.

Endereço: OVO (R. Gomes de Carvalho, 830, Vila Olímpia, São Paulo, 0 11 3045-0309 – www.ovo.art.br)