Lixo: Arte-ativismo toma o Ibirapuera na Virada Sustentável

Um barco solitário entre galões de água vazios, num leito de restos de construção. Consumo se escreve com letras feitas de lixo. Os objetos são públicos. As imagens são diretas. As mensagens são simples. O arte-ativismo é o destaque da Virada Sustentável (que começou nesta quinta, 28, e vai até o domingo, 31) no parque Ibirapuera.

A Virada, que está em seu quarto ano, lista 715 atividades espalhadas em espaços públicos, escolas e parques na cidade de São Paulo e envolve mais de 100 organizações. Os seus criadores a definem como um ” movimento de mobilização colaborativa para a sustentabilidade do país”, com a participação de organizações sociais, coletivos de cultura e apoio de empresas e órgãos públicos, para apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre os temas ligados à sustentabilidade.

Anúncios

Lixo: Multa por jogar lixo na rua faz um ano no Rio; SP pode adotar medida

Rua suja = multa + nome sujo. Um ano da campanha Lixo Zero nas ruas do Rio de Janeiro, completado essa semana, produziu mais de 57 mil multas, sendo que 17.288 foram pagas e 20 mil cidadãos que não pagaram estão com o nome sujo no Serasa. A maior parte das infrações (mais de 32 mil) é por descarte de pequenos resíduos –bitucas de cigarro e pedaços de embalagens e papel. Santos, no litoral paulista, adotou programa semelhante em julho. São Paulo estuda sistema similar.
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2014/08/1504142-lixo-multa-por-jogar-lixo-na-rua-faz-um-ano-no-rio-sp-pode-adotar-medida.shtml

Lixo: A 1ª usina de biogás no interior de SP

O interior do Estado de São Paulo inaugurou oficialmente sua primeira usina de energia do gás que vem do lixo. É a usina de Guatapará, que usa como matéria prima os resíduos domésticos de 20 cidades da região nordeste de SP, entre elas Ribeirão Preto, Araraquara, São Carlos e Sertãozinho.

Cerca de 2.200 toneladas de resíduos chegam por dia ao CGR (Centro de Gerenciamento de Resíduos) de Guatapará. Os resíduos são ali depositados e, da decomposição gerada pelos alta parcela de orgânicos, forma-se o gás metano. O gás é captado por mangueiras e enviado a uma estação de purificação e resfriamento. Da queima desse gás, se produz energia.

Segundo informações da empresa Estre, a usina de Guatapará tem capacidade de gerar 4,2 megawatts de energia, quantidade bastante para abastecer uma cidade com 18 mil habitantes, e deve chegar a 10 megawatts até o final de 2014. A energia gerada atualmente já abastece a estação energética da cidade de Pradópolis.
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2014/08/1500749-lixo-a-1-usina-de-biogas-no-interior-de-sp-e-o-design-que-transforma.shtml

Lixo: Sujou, pagou – empresas defendem taxa do lixo e agência controladora

As cidades brasileiras investem valores muito baixos na limpeza pública e na gestão de resíduos. Três anos depois de construir o marco regulatório (a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS), para conseguir fazer o país avançar, fechando lixões, destinando corretamente os rejeitos a aterros sanitários e reciclando a maior parte dos resíduos será necessário agir em três frentes. Por em prática a lógica do poluidor-pagador (quem polui mais paga mais), fazer valer a responsabilidade compartilhada na gestão do ciclo de vida dos produtos –o que inclui fabricantes, comerciantes, importadores, distribuidores de mercadorias e governos– e criar uma agência pública específica para os resíduos, a exemplo do que acontece com a ANA e a Aneel para os setores de água e energia.

A constatação e as medidas elencadas acima fazem parte de um documento lançado na última terça-feira (5) pelas empresas do Selup (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo) e técnicos da ABLP (Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública).

O documento foi baseado numa amostragem feira em 52 cidades de cinco regiões do país, incluindo as capitais. Segundo a pesquisa, as cidades brasileiras investem em gerenciamento de resíduos sólidos cinco vezes menos que a média de cidades estrangeiras como Tóquio, Cidade do México, Barcelona, Roma, Paris, Nova York, Londres, Buenos Aires e Lima.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/