Lixo: Empresa coleta lixo orgânico de restaurantes e devolve erva e tempero

Na segunda (6), começa a funcionar uma central de tratamento de resíduos orgânicos que vai processar sobras de comida de sete restaurantes da cidade: Martín Fierro, Mesa III, Epice, Attimo, Casa Jaya, Jiquitaia e Beato. A central usa o sistema de compostagem acelerada e está preparada para tratar também resíduos orgânicos de condomínios, hotéis e clubes. Com capacidade inicial de 2 toneladas, pode chegar a 40 toneladas por dia.

A iniciativa é do Instituto Guandu, empresa que faz a coleta nos restaurantes, encaminha para a central e administra o processamento, que tem como resultado final um adubo orgânico. O adubo é usado numa horta onde são cultivados ervas, temperos e outras plantas comestíveis como Ora-pro-nobis, Mastruz, Capuchinha e também Verbena Limão. A produção volta como ingrediente nas preparações de pratos servidos pelos mesmos restaurantes. Em dois deles –Attimo e Casa III– o adubo que vem do processamento dos resíduos também é utilizado na horta local.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2014/10/1526336-lixo-empresa-coleta-residuos-de-restaurantes-e-devolve-erva-e-tempero.shtml

Anúncios

Lixo: Do prato ao prato

Na última quarta-feira (25), assim como um monte de paulistas, comi feijoada. Mas foi uma feijoada diferente. Numa mesa montada em um estacionamento, experimentei o feijão, a couve e os temperos cultivados na horta do telhado do Shopping Eldorado, adubada com o adubo que provém das sobras de comidas dos restaurantes de lá. Coluna sobre Lixo no site da Folha