Adesão ao consumo consciente cresce entre brasileiros, diz pesquisa

Uma vida saudável está no topo da lista de desejos do consumidor brasileiro.

Acesso à água limpa, consumir alimentos frescos e nutritivos, ter tempo livre para passar com quem gosta, reduzir o lixo e o impacto com a geração de energia também fazem parte de um ranking de preferências, que aponta para um estilo sustentável.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/adesao-ao-consumoconsciente- cresce-entre-brasileiros-diz-pesquisa.shtml

Anúncios

Consumidor quer ser sustentável, mas não encara esforço para mudar

Uma vida saudável está no topo da lista de desejos do consumidor brasileiro. Acesso à água limpa, consumir alimentos frescos e nutritivos, ter tempo livre para passar com quem gosta, reduzir o lixo e o impacto com a geração de energia também fazem parte de um ranking de preferências, que aponta para um estilo sustentável. Convivendo com essa tendência, persiste o desejo pelo carro próprio.

O flagrante foi capturado pela pesquisa “Panorama do Consumo Consciente no Brasil”, que o Instituto Akatu lança em São Paulo nesta quarta, 25.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/consumidor-quer-sersustentavel- mas-nao-encara-esforco-para-mudar.shtml

Atuação social das empresas influencia escolha do consumidor

A atuação social das companhias influencia o consumo de seus produtos e elas são responsáveis, junto com o governo, pelo combate ao uso de mão de obra infantil.

As conclusões são baseadas em pesquisa encomendada pela Abrinq, organização que defende direitos e exercício da cidadania de crianças e adolescentes. Foram entrevistadas 1.068 pessoas em todas as regiões do país, homens e mulheres com idade entre 25 e 70 anos, em dezembro de 2017. Os resultados foram apresentados a líderes empresariais em São Paulo.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/atuacao-social-das-empresasinfluencia- escolha-do-consumidor.shtml

Pesquisa mostra que brasileiro sabe pouco sobre coleta e reciclagem

A maioria dos brasileiros sabe pouco ou nada sobre coleta seletiva e o que acontece com o lixo doméstico que gera em casa – mais de 1 kg por habitante por dia.

E apesar de dizer que a preocupação com o meio ambiente é um dos maiores temas da atualidade, grande parte das pessoas não separa lixo corretamente em suas casas – apenas uma em cada quatro pessoas o fazem. Apenas 35% disseram que é fácil encontrar informações sobre como se deve fazer a coleta seletiva em sua cidade.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/06/pesquisa-mostra-quebrasileiro- sabe-pouco-sobre-coleta-e-reciclagem.shtml

Consumidor rejeita sofrimento animal e quer transparência, diz pesquisa

Pesquisa encomendada pela ONG Mercy For Animals aponta que 81% das pessoas se preocupam com a forma como os animais são tratados pela indústria alimentícia.

O levantamento mostra também que 72% acham que o consumidor deveria estar ciente sobre a crueldade contra animais envolvida na produção de comida. Para 57%, restaurantes e supermercados deveriam parar de oferecer produtos que envolvem sofrimento para os animais.

Mais em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938754-consumidor-rejeita-sofrimento-animal-e-quer-transparencia-diz-pesquisa.shtml

‘Consumidores são os indutores de responsabilidade social das empresas’

O consumidor precisa ter percepção do poder que tem nas mãos. E usar esse poder na
busca dos melhores impactos possíveis no planeta. Essa é a premissa central em torno
do qual se estrutura há 16 anos o Instituto Akatu, dedicado à pesquisa, ensino e difusão
de práticas sustentáveis.

À frente da ONG desde seu início está Helio Mattar, que atuou como executivo em empresas nacionais e multinacionais durante 22 anos. Um dos fundadores do Instituto
Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, o diretor-presidente do Akatu é membro
de comitês de sustentabilidade de empresas como Pão de Açúcar, Unilever e Dow
Chemical.

 

Mais em https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/10/1926904-consumidores-sao-os-indutores-de-responsabilidade-social-das-empresas.shtml