Lixo: Empresa coleta lixo orgânico de restaurantes e devolve erva e tempero

Na segunda (6), começa a funcionar uma central de tratamento de resíduos orgânicos que vai processar sobras de comida de sete restaurantes da cidade: Martín Fierro, Mesa III, Epice, Attimo, Casa Jaya, Jiquitaia e Beato. A central usa o sistema de compostagem acelerada e está preparada para tratar também resíduos orgânicos de condomínios, hotéis e clubes. Com capacidade inicial de 2 toneladas, pode chegar a 40 toneladas por dia.

A iniciativa é do Instituto Guandu, empresa que faz a coleta nos restaurantes, encaminha para a central e administra o processamento, que tem como resultado final um adubo orgânico. O adubo é usado numa horta onde são cultivados ervas, temperos e outras plantas comestíveis como Ora-pro-nobis, Mastruz, Capuchinha e também Verbena Limão. A produção volta como ingrediente nas preparações de pratos servidos pelos mesmos restaurantes. Em dois deles –Attimo e Casa III– o adubo que vem do processamento dos resíduos também é utilizado na horta local.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2014/10/1526336-lixo-empresa-coleta-residuos-de-restaurantes-e-devolve-erva-e-tempero.shtml

Anúncios

Lixo: Seletiva deve atingir 4,7 milhões em SP, mas comunicação segue fraca

A abrangência da malha de coleta seletiva está aumentando em São Paulo e deve atingir 4,7 milhões de habitantes até outubro, mais de um terço da população da cidade (total de cerca de 12 milhões). A meta do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS) da cidade é de passar da taxa de 1,8% de recicláveis coletados no começo deste ano para 10% até 2016, quando se espera ter atingido os 96 distritos da cidade.

A prefeitura anunciou na última terça (23) que dez novos distritos já começam neste fim de setembro a ser percorridos uma vez por semana pelos caminhões da seletiva, entre eles áreas grandes como Cidade Dutra, Grajaú, Socorro, Campo Limpo, Capão Redondo, Cidade Ademar e Ermelino Matarazzo. E, até outubro, 17 bairros serão integralmente atendidos, entre os quais Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República, Santa Cecília, Sé, Jaguaré, Lapa, Perdizes, Vila Leopoldina, Barra Funda, Santana e Tucuruvi.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2014/09/1522728-lixo-seletiva-deve-atingir-47-milhoes-em-sp-mas-comunicacao-segue-fraca.shtml

Lixo: O mapa da Lapa sustentável

mapalapa
Detalhe do “Mapa do consumo e descarte sustentável”, que localiza endereços em seis distritos da Subprefeitura da Lapa, em São Paulo

Pontos de descarte de papel, plástico, vidro, latinhas, equipamentos eletrônicos, pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes, medicamentos, isopor, óleo de cozinha e mais endereços de cooperativas, locais de minhocários e de compostagem estão pela primeira vez reunidos num mapa de uma região da cidade de São Paulo.

O “Mapa do consumo e descarte sustentável”, que localiza também hortas comunitárias, pontos de venda e restaurantes de alimentos orgânicos, abrange os 40 quilômetros quadrados onde vivem 305 mil habitantes dos bairros de Perdizes, Barra Funda, Jaguaré, Jaguara, Vila Leopoldina e Lapa, área administrada pela Subprefeitura da Lapa.

Além de localizar os endereços, o mapa traz, em seu verso, informações úteis sobre consumo consciente, separação do lixo, coleta seletiva e descarte de todos os tipos de resíduos, em linguagem didática.

Foram impressas 85 mil unidades, que estão sendo distribuídas desde o dia 8 de junho pelos 38 parceiros do projeto criado pelo Instituto 5 Elementos – Educação para a Sustentabilidade, que tem sede na região. Coluna sobre Lixo no site da Folha