Do outro lado do muro

Acima, "Informe Publicitário" (2006), de André Komatsu

A exposição “Do outro lado do muro” foi criada para uma casa que fica a um muro da loja de objetos e mobiliário MiCasa, na esquina da rua Estados Unidos com a Atlântica, nos Jardins, em São Paulo. Depois da exposição, a casa-mostra será demolida e ali será construído um anexo da loja.  “Tudo aqui é transitório. Os artistas escolhidos têm uma relação com a construção e desconstrução. Real e simbólica. Já os designers têm em seus objetos a mesma força de uma instalação. Tudo convivendo sobre o mesmo teto, sem diferenças e nem hierarquias”, escreve Ricardo Oliveros, o curador da mostra.

“Do outro lado do muro”, metaforicamente, faz referência ao muro, fronteira, virtual ou desimportante para uns, barreira conceitual fundamental para outros, que separa arte e design.

Na maior parte das vezes, se há polarização, tendo a me alinhar, por pragmatismo, à segunda turma, porque acho que no final das contas é melhor que no compartimento arte fique aquilo que pode brincar, zombar, desfazer, dar as costas, romantizar, satirizar, fazer birra ou delirar sobre a inutilidade e a utilidade, sem ter de seguir nenhum programa.

Ao design ainda acho que vale cobrar que alguma coisa funcione em algum plano.

Mas é claro que esse pensamento simplificado já enseja seu próprio suicídio, pois se à arte tudo é permitido, também é permitido que simule e se invente como utilidade, coisa prática, narração de utilidade passada, invenção de utilidade futura, discurso, enfim, ainda que sua justificativa seja única e exclusivamente a de satisfazer ao gosto.

Não é necessário levar essa minha conversa adiante para ver com interesse “Do Outro lado do muro”. A mostra reúne obras de artistas como Adriana Varejão, André Komatsu, Angela Detanico + Rafael Lain, Daniel Senise, David Batchelor, Flip, Front, Gisela Motta+Leandro Lima, Henry Krokatsis, Iran Espírito Santo, Kleber Matheus, Los Carpinteros, Luiz Duva, Marcelo Cidade, Mariana Manhães, Renato De Cara, Rochelle Costi, Sang Wong Sung e Triptyque.

“Muito da arte contemporânea tira de um cotidiano banal seu suporte criativo. Por outro lado, o design, sem esquecer da função, passa por um momento de muitas vontades artísticas”, diz Ricardo Oliveros.

Veja mais imagens, bastidores e informações no blog do Oliveros, o Fora de Moda. “Do outro lado do muro” abre dia 9, para convidados, e fica de 11 de agosto a 6 de setembro, com visitação de segunda a sexta de 11 as 18h, com entrada pela Estados Unidos, 2.109, Jardim América, em São Paulo.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s