Ativistas criticam destruição e pedem respeito aos canteiros da Batata

No dia 28 de julho, um dos canteiros de agroecologia plantados por moradores da região e ativistas no largo da Batata foi retirado pela prefeitura. Ali estavam sendo cultivadas várias espécies, entres elas um Ipê já adulto, uma Peroba Rosa plantada em 2015, arbustos, flores, temperos, tubérculos e plantas alimentícias não convencionais, as PANCs. “Já dava sombra. As pessoas colocavam cadeiras perto do canteiro para se proteger do Sol”, conta a médica Maria Eudóxia Carvalho, que faz parte do grupo Batatas Jardineiras.

“Ficamos surpresos e indignados”, diz Maria Eudóxia. Ela é uma das pessoas que cuida do plantio e da preparação da terra deste e de outros canteiros do largo. A manutenção dos canteiros cooperados é regida por um Termo de Cooperação, firmado entre a prefeitura Regional de Pinheiros e duas integrantes do grupo Batatas Jardineiras em outubro de 2016 e publicado no Diário Oficial Municipal em dezembro do mesmo ano. Tem vigência de três anos.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/08/1909088-ativistas-criticam-destruicao-e-pedem-respeito-aos-canteiros-da-batata.shtml

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s