Brasil é o 2º maior gerador de e-lixo das Américas

Nove pirâmides de Gizé ou 4,5 mil torres Eiffel. Em 2016, o peso equivalente a esses combos de monumentos, 44,7 milhões de toneladas, foi gerado de lixo eletrônico no mundo, um aumento de 8% em relação a 2014.

Até 2021, a produção dessa sofisticada sucata deve superar as 50 milhões de toneladas ao ano, um aumento de cerca de 17%. Estima-se que o desperdício potencial desses materiais seja equivalente a US$ 55 bilhões.

TVs, celulares, aparelhos de som, video e outros eletrônicos com placas possuem componentes valiosos como ouro, prata, cobre, platina, paládio.

Mas a reciclagem é complexa e não é difundida globalmente. Só 20% dos resíduos eletrônicos produzidos no mundo foram reciclados. A maior parte do que é descartado vai parar em lixões a céu aberto, contaminando solo, ar e água.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/12/1945328-brasil-e-o-2-maior-gerador-de-e-lixo-das-americas.shtml

Anúncios

Lapa tem coleta de celulares e eletrônicos no projeto Descarte ON

O tráfego intenso de gente de todos os estratos sociais e a existência de vários centros comerciais fizeram da Lapa o bairro escolhido em São Paulo para a implantação de um projeto de reciclagem de resíduos eletroeletrônicos (REEEs). Grandes lojas da região já podem receber aparelhos de pequeno e médio portes descartados desde quinta-feira (28).

Celulares, laptops e aparelhos de áudio e vídeo, liquidificadores, espremedores e ferros de passar sem utilidade poderão ser dispensados em algumas unidades de Casas Bahia, Extra Hiper, Americanas, Pernambucanas e Ponto Frio no bairro. O Walmart deve entrar no projeto na primeira quinzena de maio.

O projeto dura até outubro e não estão incluídos baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes e toners de impressora. Qualquer morador da cidade pode descartar um equipamento de até 60 centímetros de largura, 50 centímetros de comprimento e 75 centímetros de altura
nestes postos de coleta durante a duração do projeto.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/04/1765972-lapa-tem-coleta-de-celulares-e-eletronicos-no-projeto-descarte-on.shtml

Lixo: Contrabando de e-lixo gera lucro alto e contamina áreas pobres do planeta

A indústria eletrônica é uma das que mais cresce no mundo. Mas ela deixa marcas notáveis: por ano, são geradas até 41 milhões de toneladas de lixo eletrônico a partir de computadores e telefones inteligentes. Até 2017, calcula-se que sejam atingidas as 50 milhões de toneladas.

Publicado na última segunda-feira (12), em Genebra, o relatório “Crimes e Riscos de resíduos”, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o Pnuma, aponta que de 60% até 90% desse lixo eletrônico são comercializados ilegalmente em rotas de contrabando e no fim da linha podem acabar despejados no meio ambiente.

Em valores, esse mercado ilegal é avaliado entre US$ 12,5 e US$ 18,8 bilhões ao ano, seguindo a estimativa da Interpol, que calcula a tonelada de lixo eletrônico em torno de US$ 500.

Atualmente, Europa e América do Norte são os maiores produtores de lixo eletrônico. África e Ásia são os principais destinos de resíduos perigosos para aterros e para reciclagem. Na África, Gana e Nigéria estão entre os maiores recebedores, ao lado da Costa do Marfim e do Congo. Na Ásia, China, Hong Kong, Paquistão, Índia, Bangladesh e Vietnã recebem remessas ilegais de lixo eletrônico.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2015/05/1629297-lixo-contrabando-de-e-lixo-gera-lucro-alto-e-contamina-areas-pobres-do-planeta.shtml