Cortiça em destaque

Reciclável, natural e renovável, a cortiça e a estrela da coleção Materia, desenvolvida com a curadoria do núcleo português experimentadesign, o maior grupo de mobilização, ação e projetos de design daquele país.

Lançada durante o Salão do Móvel de Milão, encerrado no último dia 17, a série de objetos será apresentada ao público português em 5 de maio, em Lisboa.

Materia busca explorar novas formas de utilização da cortiça, revelando a versatilidade do material, por causa de suas qualidades técnicas e táteis. Leveza, plasticidade, impermeabilidade, durabilidade são explorados nos objetos da coleção.

Além de seis estúdios portugueses – Daniel Caramelo, Fernando Brizio, Miguel Vieira Baptista, Pedrita, Marco Sousa Santos e Filipe Alarcao – , a experimentadesign, que idealizou todo o projeto, chamou quatro grupos de fora do país para trabalhar com o material bem conhecido e apreciado pela cultura lusitana. O grupo BIG-GAME, o estúdio francês de Inga Sempé, o japonês Nendo e o britânico Raw Edges.

A corticaria Amorim, uma das mais tradicionais de Portugal, comissionou o projeto.

Portugal é o maior exportador de cortiça no mundo. O país concentra mais de 32% da área mundial de sobro – conjunto de sobreiros, árvore de onde se retira a cortiça – e transforma 70% da produção mundial de cortiça.

Você pode fixar com pins, em alturas variadas, qualquer cupola de papel na luminária Pinha. A Pinha foi desenhada pelo estudio Raw Edges, de Londres

A árvore da cortiça vive em média 200 anos. Começa a ser tratada – descortiçada – aos 25 anos. A partir dos 40 anos de vida do sobreiro, a cortiça obtém qualidade para a produção de rolhas.

“A cortiça é um material fantástico, natural e com um forte apelo emocional que não foi ainda explorado completamente”, disse a curadora Guta Moura Guedes, organizadora e curadora da experimentadesign, sobre o projeto, para a Domus Itália. A intenção coleção foi criar objetos simples e inovadores com este material que é comum e conhecido.

Prato e bowl desenhados por Inga Sempé para serem presos em superficie fixa de uma mesa ou banco

Anúncios

100% Design Londres na visão de Baba Vacaro

"Fade Out chair", que fez parte da primeira individual do estúdio Nendo em Londres, nos meses de setembro e outubro

Cadeira do estúdio Nendo, exposta em Londres

Os japoneses Nendo e Tokujin Yoshioka e os ingleses Stuart Haygart, Paul Cocksedge, David Trubridge foram destaques da 100% Design Londres de 2010, que aconteceu em setembro, na opinião da designer Baba Vacaro. Baba já esteve duas vezes na mostra, já visitou a 100% Design de Tóquio e visita regularmente há muitos anos a semana de design de Milão, “porque é o maior evento do segmento e lá é possível ver uma seleção de design dos quatro cantos do mundo”.

Instalação do designer Stuart Haygarth numa das escadas de mármore do Victoria and Albert Museum, de Londres, que usa molduras de quadros de cores, texturas e formas diferentes

No último ano, incluiu no roteiro de mostras internacionais a Maison&Objet, de Paris. “Visito as feiras por diversas razões: para alguns de meus clientes, sou responsável pela seleção/importação de produtos. Por conta disso visito tanto feiras mais comerciais ( já fui até a Hong Kong ) quanto feiras mais alternativas. Preciso descobrir novos talentos pelo mundo”.

“Antigamente visitar as feiras internacionais era a única maneira de saber o que estava acontecendo no universo do design. Hoje em dia o conteúdo está disponível “on line”, há muitas maneiras de conhecer o trabalho de outros designers, e de instituições internacionais. Mas acho que a experiência ao vivo é insuperável. Escolher você mesmo o que quer conhecer, poder se aprofundar, conversar com as pessoas, sentir o clima dos lugares. Isto só dá para fazer estando nos lugares.”

Por causa desta grande experiência, pedi a Baba uma entrevista sobre os destaques da 100% Design Londres.

Formada em desenho industrial pela Faap, Baba dirige o Design Mix, atuando como diretora de criação para marcas como Dominici, Dpot e St. James. É articulista convidada de veículos especializados em design e decoração e apresenta, desde março de 2010, às terças e quintas, um boletim sobre design na Rádio Eldorado. “A atuação na rádio me força a pensar de um jeito um pouco diferente, menos naquilo que eu preciso aprender e mais no que seria interessante para um número maior de pessoas”

 

Segue a entrevista que Baba deu ao Blog Design:

Blog Design – O que mais se destacou nesta edição da 100% Design Londres?

Baba Vacaro – Fica evidente o poder transformador que o investimento em educação traz aos jovens designers ingleses, pois a eles é permitido experimentar, sem preocupação com o resultado comercial. E assim podem ir mais fundo, buscar a essência, sair da superficialidade.
BD Pode citar criadores, marcas ou grupos que na sua opinião se destacam?

BV Os japoneses, Nendo, Tokujin Yoshioka; os ingleses Stuart Haygart, Paul Cocksedge, David Trubridge; Piet Hein Eek e outros holandeses da turma de Eindhoven; Inga Sempe, para citar apenas alguns, de bate-pronto.
BD Qual o diferencial da mostra em relação às outras semanas de design?

BV A Design Week de Milão tornou-se um evento de proporções estratosféricas. Começa a ficar difícil encontrar coisas interessantes, pois o volume é imenso. E pela pressão comercial, a tendência é que os grandes esmaguem os pequenos. Um evento como o London Design Festival dá mais espaço aos designers emergentes, aos estudantes, ao inusitado, ao menos ortodoxo. É um ambiente mais favorável ao surgimento de novas propostas

 

BD Que idéias esta nova produção internacional aponta?

BV A busca por aquilo que realmente importa, a discussão sobre o que realmente precisamos, que é a base do desenvolvimento sustentável. Que tipo de produtos queremos para fazer parte de nossas vidas. Isso tem proporcionado o aparecimento de diversas vertentes e grupos de produção, tanto intelectual quanto de produtos também.

 

BD Além de criadora, você tem um papel de divulgação do design, com o seu programa de rádio, e participa também de concursos de design. Com esta experiência, como avalia a produção atual de design?

BV Fazer parte do grupo que avalia e seleciona projetos da produção atual de design, como jurada de concursos, é uma maneira realmente interessante de ter um panorama desta produção. Idem pelo fato de ser responsável pela direção de criação de marcas importantes do mercado. O melhor da produção atual do design brasileiro e internacional, em produtos para casa, sempre chega às minhas mãos. Com o rádio, tenho a oportunidade de divulgar o tema para um número muito maior de pessoas, e gosto de pode ajudá-las a pensar em quais as características de um bom produto, de um bom projeto, que podem realmente melhorar a vida delas. O design até bem pouco tempo era visto como algo supérfluo; hoje a divulgação da cultura do design ajuda o próprio consumidor a ter acesso a bons produtos, produtos em que o design está na raiz, na concepção. Vivemos um momento de amadurecimento do design no Brasil, mas ainda temos um longo caminho a trilhar.

 

Tom Dixon, Paul Smith e Norman Foster no painel “Love and Money”

Luminárias de Tom Dixon

O painel itinerante “Love and Money – 50 anos de Grã-Bretanha Criativa”, lançado na última “100% Design” de Londres, em setembro, poderá ser visto de 9 a 15 de outubro no Centro Brasileiro Britânico (rua Ferreira de Araujo, 741, Pinheiros, São Paulo).

A mostra está dividida em seis projetos audiovisuais, mostrando casos de sucesso de inovação e bons negócios.

Entre os autores de projetos, o designer Tom Dixon, o estilista Paul Smith e o arquiteto Norman Foster.

Serpentine de Londres terá primeira mostra de design

O designer alemão Konstantin Grcic é o curador convidado para a primeira exposição de design da Serpentine Gallery, em Londres. Grcic trabalhará com o grupo curatorial da galeria, composto por Julia Peyton-Jones, Hans Ulrich Obrist e Kathryn Rattee. A notícia circulou hoje na “Design Week”. Grcic teve exposição de 25 anos de trabalho no Design Museum de Londres, em 2007.

A mostra “Real Design” vai de 26 de novembro a 7 de fevereiro de 2010 e deve exibir objetos de uso corrente -ainda em produção ou à venda. Terá uma área para exibir origens e processos de produção de alguns dos objetos expostos.

A idéia de convidar um curador para selecionar e desenhar a exposição, segundo informa a galeria, é extensão do conceito do pavilhão da Serpentine, que desde 2000 é renovado com projeto de artista ou arquiteto de destaque.

Até 18 de outubro, está montado o pavilhão do grupo japonês Sanaa, formado por Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa. O Sanaa é responsável pelo desenho do New Museum de arte contemporânea, de Nova York, e suas obras já foram expostas em São Paulo, em 2008, no Tomie Ohtake.

Localizado em Kensington Gardens, o pavilhão já teve projetos de Zaha Hadid, Daniel Libeskind, Oscar Niemeyer, Rem Koolhaas e Olafur Eliasson, entre outros.

O vídeo aqui inserido mostra imagens dos projetos do pavilhão e um making of do projeto do Sanna, uma espécie de marquise espelhada, que pode ter inspiração niemeyeriana.

Design do ano 2009 Londres – transportes

Da Daimler, o Car2Go

O eletrônico Th!nk City

A mostra de projetos apontados para o Designs of the Year 2009 britânico abriu hoje no Design Museum, em Londres. Na categora transporte, além dos minicarros, uma peça muito interessante.

De Eric Larson, Ricky Biddle, Ben Shao e Austin Cliffe, a cadeira Balance Sport

A cadeira de rodas com molejo para manobras circulares, com mais equilíbrio e versatilidade.

Design do ano 2009 Londres

De Konstantin Grcic, as cadeira Myto, para a Plank

A exposição do objetos e projetos candidatos apontados para o Designs of the Year 2009 britânico abriu hoje, 12 de fevereiro,  para o público no Design Museum, em Londres. Nas imagens, minha seleção pessoal de “concorrentes” da categora mobiliário. Com o nome do designer e da empresa que contrata o projeto.

De Adam Goodrum, as cadeiras Stitch, para a Cappellini

Os vencedores de cada categoria serão anunciados no dia 23 de fevereiro e o projeto vencedor do ano será conhecido no dia 18 de março.

De Ronan e Erwan Bouroullec, a família Magis Steelwood (mesa, cadeira e aparador/estante), para a Magis

O concurso tem sete categorias: arquitetura, transporte, gráfica, design interativo, produto, mobiliário e moda.

De Nacho Carbonell, série Evolution

Um grupo de notáveis é convidado a apontar cinco projetos com o melhor do melhor em inovação e idéias prospectivas na produção do ano anterior ao redor do mundo.

De Tord Boontje, as Folhas de Figo, para a Meta

Arquitetura de vestir no Design Museum

A mais extensa mostra sobre Hussein Chalayan no Reino Unido será inaugurada em 23 de janeiro no Design Museum de Londres. Chalayan recebeu nominação de designer do ano em 2008 pelo museu.

Trabalhos como as roupas iluminadas por LEDs e cristais e as suas peças que são consideradas como “arquitetura” ou “mobiliário” de vestir serão mostrados.

Coleções de vários anos, curtas-metragens e projetos artísticos também farão parte da mostra.

Chalayan é considerado um dos mais inovadores pesquisadores do design contemporâneo, por pesquisar e produzir na fronteira entre moda e as demais artes aplicadas e tecnológicas.