‘Pure Gold’ mostra reciclados do mundo na Alemanha

O centenário Museu de Artes e Ofícios de Hamburgo, na Alemanha, deu a largada para o ambicioso projeto itinerante “Pure Gold – Upcycled! Upgraded!”. Ele começou no último dia 15 de setembro com uma exposição de peças feitas de reciclagem e upgrade de materiais de quatro continentes.

Plásticos, madeiras, panos, borrachas, papéis, ferros, louças e vidros recuperados e rearranjados em 76 peças, por 53 designers, fazem parte da mostra, que deve percorrer 20 cidades em dez anos, um programa do Instituto de Relações Internacionais (IFA) da Alemanha.

“Nosso tema é de relevância global, mas os países têm abordagens muito diferentes. Seria um malentendido ver o upcycling como um novo método universal. Pelo contrário, deve ser enraizado na cultura regional como uma estratégia efetiva. Os objetos exibidos demonstram isso de forma prolífica”, diz o curador-chefe da mostra, o professor Volker Albus.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/09/1920945-pure-gold-mostra-reciclados-do-mundo-na-alemanha.shtml

Anúncios

Marcelo Zocchio exibe `Equações’ com sobras e sombras no MAC

Deixar o mínimo possível de sobras no processo de feitura de mobília de madeira de reaproveitamento já é lei no trabalho de marcenaria do artista e fotógrafo Marcelo Zocchio. Agora, em “Somente o Necessário”, exposição que abre sábado (2), no MAC Ibirapuera, as sobras são incorporadas em suas obras de fotografia e escultura.

Uma linha pontilhada no chão demarca a espaço da exposição. Cruzada essa linha, o visitante será apresentado às “Equações” do artista, podendo transitar e experimentar as instalações. “A interação das pessoas com os objetos vai completar a obra com o uso”, diz Zocchio.

A exposição traz trípticos que narram os processos de elaboração e criação do artista. Nesses trípticos, existe sempre uma primeira foto que registra a madeira bruta, um objeto criado com o material retratado e um terceiro elemento, híbrido, formado por uma foto com sobras da madeira do objeto aplicadas em sua superfície.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2017/09/1914868-marcelo-zocchio-exibe-equacoes-com-sobras-e-sombras-no-mac.shtml

Aproveite a Virada para saber mais sobre compostagem e horta

Como aproveitar cascas e restos de frutas, legumes, verduras em vez de jogá-los no lixo? O que fazer para cultivar temperos, chás e alimentos? O que são, como identificar e usar as pancs? Como fazer uma bomba de sementes? O que é segurança alimentar? Essas são algumas das perguntas que podem ser respondidas durante a Virada Sustentável, que começou na quinta e vai até domingo, 28, com programação extensa de debates, oficinas, exibição de filmes, mostras de fotografia, caminhadas e feiras.

O evento não trata só disso. Há workshops sobre construção de cisternas para captar água de chuva, construção de mobiliário, aulas de culinária, feiras, mercados de trocas, seminários sobre consumo consciente e muito mais.

Mas a programação para os interessados em plantio de hortas domésticas e comunitárias, hábitos alimentares, comida orgânica e os diversos tipos de compostagem merece destaque.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/08/1807059-saiba-mais-sobre-compostagem-horta-e-alimentacao-na-virada-sustentavel.shtml

Lixo zero: Merdacotta em design minimalista na Semana de Milão

“Como um meteorito caído do céu, uma gigantesca peça de Tetris ou um achado arqueológico saído da terra, ele invade o espaço. Para áreas internas ou externas, é ao mesmo tempo banco, mesa baixa e escultura. Impermeabilizado e protegido contra manchas, disponível sem acabamento ou encerado, é inteiramente feito a mão. Dimensões: 1,20m x 60cm x 40cm. Peso 120 kg.”

Você leu a ficha técnica de um paralelepípedo maciço de Merdacotta, uma cerâmica feita com esterco seco de vaca, palha, resíduos agrícolas e argila. O nome da peça: “Tijolo gigante de merda” (Giga Mattone di Merda).

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/04/1763585-lixo-zero-merdacotta-em-design-minimalista-na-semana-de-milao.shtml

 

 

Livro traz a perspectiva dos catadores de material reciclável no Brasil

Perspectivas das catadoras e dos catadores de material reciclável sobre a atividade, dificuldades e avanços na participação social são o destaque de uma coletânea de artigos que o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) lançou nesta semana.

O livro é síntese e memória de um encontro nacional realizado em agosto de 2014 com o tema “Conhecimento e Tecnologia: Inclusão Socioeconômica de Catadores(as) de Materiais Recicláveis”, que reuniu trabalhadores da reciclagem, estudiosos e especialistas no assunto.

São 23 artigos. Em sua primeira parte, os textos tematizam a identidade dos catadores como trabalhadores, questões de gênero e relacionadas à divisão sexual do trabalho. Na segunda parte, são discutidas cooperativas, movimentos de catadores e sistemas produtivos. Na terceira parte, há artigos sobre processos de reciclagem do ponto de vista logístico, histórico e tecnológico.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/04/1756183-livro-traz-a-perspectiva-dos-catadores-de-material-reciclavel-no-brasil.shtml

Rodrigo Bueno garimpa fragmentos da natureza e objetos para sua arte

Duas instalações exibem em São Paulo os últimos trabalhos do artista plástico Rodrigo Bueno com materiais garimpados na rua. Nelas, o artista usa fragmentos de grades de ferro, madeira de demolição e caules, troncos e mudas abandonadas em terrenos da cidade para construir ambientes que evocam o poder da natureza, como uma celebração ritual.

“Acho importante trazer o cotidiano da cidade para dentro do meu trabalho. Uso esses materiais pela memória que já possuem, no seu desenho e no seu uso, e por um interesse arqueológico que tenho sobre quem fomos e quem somos”, diz Bueno. “Além disso, acho que precisamos usar essa abundância de coisas que já produzimos, ir contra o desperdício”, afirma.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/03/1753940-rodrigo-bueno-garimpa-fragmentos-da-natureza-e-objetos-para-sua-arte.shtml

Projeto Varre Vila ganha reportagem fotográfica em livro e exposição

Uma reportagem fotográfica registrou a história e mostra o orgulho dos moradores participantes do projeto Varre Vila nas comunidades de Nossa Senhora Aparecida e União de Vila Nova, em São Miguel Paulista, e Jardim Robru e Parque Santa Rita, em Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo.

O projeto começou há 4 anos, quando o líder comunitário Ionilton Gomes de Aragão, educador e ex-agente de saúde, resolveu tentar diminuir o lixo e a sujeira na sua vizinhança. E ele conseguiu com armas poderosas: informação, comunicação e mobilização.

Mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/maragama/2016/03/1751400-projeto-varre-vila-ganha-reportagem-fotografica-em-livro-e-exposicao.shtml